stress.fm

#01
[INSTALAÇÃO SONORA / PERFORMANCE]


Um convite à escuta da paisagem sonora de um lugar específico. Uma proposta que desafia o deslocamento e a sobreposição de espaços sonoros, a agregação e a fragmentação da paisagem aural.

A instalação ganha corpo através de uma peça musical, onde as fontes do ambiente sonoro do contexto em que se insere são matéria base da composição. Peça que comporta duas dimensões específicas, uma primeira assente num algoritmo de carácter generativo e, uma segunda que apela à manipulação de um objecto escultórico por parte do público.

A instalação decorre numa sala que privilegia uma escuta atenta, e é activada através de uma performance e da interação do auditório com o interface digital. Simultaneamente todo o evento é transmitido em directo numa página on-line.

[DOCUMENTAÇÃO / 2-9 JULHO 2017]

Play button Pause button

interface / gravação binaural

00'00" (4'12")

Play button Pause button

random 1 / gravação binaural

00'00" (7'06")

Play button Pause button

sequence 1 / gravação binaural

00'00" (6'35")

Play button Pause button

sequence 2 / gravação binaural

00'00" (9'01")

Play button Pause button

random 2 / gravação stereo

00'00" (9'07")


Installation Video

[SISTEMA]


Esta proposta assenta num sistema constituído por cinco componentes principais, independentes e ligadas entre si, que formam uma infra-estrutura de carácter linear e sequencial:

    1. rede internet de topologia centralizada: distribuição de um conjunto de pontos de captação e transmissão áudio no contexto de intervenção (uma cidade, um lugar, uma região), e a sua ligação em directo a um servidor central;

    2. servidor central: articulação de todas as ligações entre as componentes de rede e de áudio, unidade onde é processada a peça sonora;

    3. sala de escuta: espaço de ressonância da peça sonora com recurso a um equipamento de áudio que integra quatro altifalantes;

    4. objecto escultórico: um interface interactivo que agrega um micro-controlador (arduino), um convite à participação do público como agente criativo na própria peça sonora;

    5. transmissão digital final: um microfone de captação na sala de escuta, difusão em directo e em contínuo da ressonância de todo o evento para uma página na internet.


[APRESENTAÇÕES]

2 a 9 Junho 2017 - Oficinas do Convento / Festival Cidade Preocupada
Sala do Capítulo do Convento de São Francisco, Montemor-o-Novo

Instalação que partiu de um conjunto de paisagens sonoras provenientes de vários pontos de captação e transmissão áudio distribuídos na região de Montemor-o-Novo.

Uma padaria, uma charca, um bar e uma rotunda foram parte da escolha do ambiente aural que deu corpo à peça sonora.

A composição esteve assente num algoritmo de carácter generativo e num sistema participativo, num convite à interacção do público através da manipulação do objeto escultórico, simultaneamente um interface digital.

Todo o evento pôde ser escutado em tempo real no site do projeto.

[FICHA TÉCNICA]


Peça Sonora: João Bastos, Nuno Torres, Tiago Fróis
Interface Físico / Escultura: Tiago Fróis
Sistema Sensorial: Mauricio Martins e Tiago Rorke
Sistema de Rede: Vasco Pita
Interface Digital / Pd: Nuno Torres